Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

A cachaça é nossa
em: Comendo Fora
01/07/2014 08:50
 Ela venceu preconceitos e ganhou grifes. Bebida genuinamente brasileira, produzida a partir da cana de açúcar, a cachaça foi criada
na época de Brasil Colonial e hoje é sucesso também no exterior.

Aguardente de cana, com graduação alcoólica variando de 30% a 48% em volume, a 20°C, a cachaça tem várias versões que explicam sua origem. "Com certeza, sabemos que a cachaça surgiu entre 1516 e 1532, no Brasil Colônia, em algum engenho da costa brasileira. Não foi descoberta por acaso, mas intencionalmente, pois o colono português, que já destilava a bagaceira (aguardente do vinho) sabia que qualquer líquido açucarado poderia gerar uma aguardente, bebida muito valiosa na época das navegações", conta o autor, consultor e conferencista do segmento de alimentos e bebidas, Jairo Martins da Silva, autor do livro Cachaça: o mais brasileiro dos prazeres e criador do site O Cachacista.
No caminho percorrido do balcão do boteco de bairro até as cachaçarias da moda, a bebida teve seu processo de produção aperfeiçoado e ganhou embalagens sofisticadas, grifes e, em alguns casos, preços altíssimos: uma edição de colecionador chega a ser comercializada a mais de R$ 2 mil.
"São bebidas diferenciadas de acordo com o tempo de envelhecimento, processo de elaboração e posicionamento da marca", explica Silva.
Mas não é preciso desembolsar tanto para degustar de uma boa cachaça. Segundo o especialista, gastando entre R$ 50,00 a 80,00 já se pode adquirir uma excelente cachaça. A bebida também conquistou o mundo e atualmente é exportada para mais de 60 países.

- Qual o vinho certo para cada tipo de prato?

De norte a sul, cachaça de qualidade
Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo e Rio Grande do Sul são os Estados produtores de maior destaque. "O segredo de uma boa cachaça está no processo produtivo. É possível produzir excelentes bebidas em todas as regiões", esclarece Silva.
Uma bebida de primeira linha, ensina o especialista, deve ser brilhante e límpida, além de não arder no nariz, nem nos olhos. Sua origem deve ser checada. "Cachaça clandestina, além do problema ético, pode ser prejudicial à saúde", adverte o autor.
Versátil, a cachaça acompanha aperitivos, entrada, primeiro prato, prato principal, sobremesa, até o digestivo. "Dependendo dos tipos e estilos, variedade de madeiras e tempos de envelhecimento, pode-se encontrar a cachaça perfeita para cada prato e ocasião", garante Silva.

Saiba mais
• Processo: o caldo de cana, obtido a partir da moagem da cana madura, é fermentado para obtenção do vinho da cana, que, após ser destilado, gera a cachaça. Dependendo da escala da produção, é armazenada em alambique (pequena e média escalas) ou coluna (grande escala).
• Tipos: além de se diferenciarem pelo teor alcoólico, podem ser descansadas (brancas), armazenadas (amarelas) e envelhecidas (amarelas). As brancas são armazenadas em tonéis de inox ou de madeira que não transfere cor à cachaça. As outras duas distinguem-se, ainda, pelo tipo de madeira utilizada no processo - carvalho, amburana, bálsamos, freijó, grápia, etc. As envelhecidas, podem ser classificadas em premium, extra-premium ou reserva especial.
• Qualidade: é indispensável ter registro no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Uma bebida de qualidade é brilhante e límpida - não pode ser turva e nem ter partículas em suspensão ou decantadas. A boa cachaça não deve arder no nariz e nem nos olhos. Ela tem aroma frutado de cana - ou, se envelhecida, o da madeira - e, ao ser ingerida, desce de forma suave e agradável.
Para sentir o odor, coloque uma gota na parte de cima da mão e esfregue ou dilua com água, chacoalhe e cheire. O odor deve ser de cana, se a cachaça for branca; ou de cana mais madeira, se for armazenada ou envelhecida.
• Como apreciar: em pequenos goles, bebidos lentamente, e, sempre, acompanhada de água e alimentos. Pode ser servida resfriada, gelada ou com gelo (on the rocks), pura ou na caipirinha, em coquetéis e batidas de frutas, água de coco, energéticos ou com água.  
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário