Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

Animais de estimação: uma vida que depende de você
em: Nossos Bichos
11/07/2014 09:30
Companhia para todas as horas, animais de estimação necessitam de cuidados e atenção.

Conviver com uma mascote é uma experiência repleta de aprendizado e alegrias. A interação pode ser altamente benéfica, combatendo estresse, depressão e outros males. Porém, o relacionamento é uma troca e requer uma série de responsabilidades com os pets, que precisam de atenção e cuidados.
Pesquisas recentes comprovam que a convivência favorece mente e corpo. Segundo estudo do British Journal da Royal Society of Medicine, ao adquirir um cão ou gato, o dono reclama com menos frequência de pequenos problemas de saúde e desfruta de melhor qualidade de vida. “A troca de energia é muito benéfica e compensadora”, reforça o veterinário dr. Claudio Ruy dos Reis.
Muitos serão os momentos de alegria e o laço afetivo pode estreitar as relações familiares, mas o ciclo de vida mais curto dos bichinhos reserva uma lição: “Acompanhamos seu envelhecimento e morte, aprendendo que as perdas fazem parte da vida”, completa dr. Claudio.
Para que seu companheiro tenha uma vida digna, é preciso estar consciente das obrigações e praticar a Posse Responsável. A atitude inicia pela escolha: cães demandam mais atenção e não gostam de ficar sozinhos, podendo ter distúrbios comportamentais nestas circunstâncias; enquanto gatos se adaptam melhor ao estilo de vida de quem passa muito tempo fora de casa.
Se a opção for por um cãozinho, uma pesquisa é fundamental para definir qual a melhor raça, considerando a finalidade e o espaço disponível: “Não se pode, por exemplo, criar um São Bernardo em um apartamento ou exigir que um Dálmata seja cão de guarda”, explica o veterinário, lembrando que cães sem raça definida são também uma boa alternativa, pois geralmente podem ser facilmente treinados e se adaptam a diferentes ambientes e situações.
A posse de animais silvestres sem registro do Ibama é proibida por desencadear desequilíbrio ambiental, além de ser muito prejudicial para o bichinho. O veterinário também desaconselha adquirir pássaros e hamsters: “O animal viverá confinado, é uma judiação”.

Responsabilidades
Embora seja tentador presentear uma criança com uma mascote, os cuidados serão sempre responsabilidade do adulto, que deve supervisionar de perto as brincadeiras para evitar acidentes. Uma mordida ou arranhada pode traumatizar a criança e gerar o abandono do pet.
Escolhido o amigo, é preciso considerar os cuidados com alimentação, banhos, castração, vermifugação, vacinas e consultas periódicas. Demandando tempo e dinheiro, devem ser seguidos à risca para evitar doenças à família, ao animal e proporcionar uma convivência prazerosa. “Ter um animal é adquirir uma vida muito importante, que merece ser bem preservada, pois lhe trará grandes alegrias”, adverte dr. Claudio.

Teste: Você será um bom dono?
1. Todas as pessoas da sua casa concordam com a idéia de ter um pet?
2. Sua casa tem espaço suficiente?
3. Você (ou sua família) pode pagar boa alimentação e cuidados médicos (pelo menos uma consulta com veterinário por ano para vacinas e check-up)?
4. Você tem tempo para dedicar atenção ao seu animal todos os dias?
5. Cães e gatos vivem mais ou menos 15 anos. Você tem certeza de que quer (e pode) conviver todos esses anos com um animal?
6. Os animais, como os homens, ficam doentes e velhos. Você se dispõe a cuidar de seu animal nestas condições?
7. Você tem alguém que pode ficar com o bichinho caso queira viajar ou está disposto a pagar diárias em um hotelzinho de confiança?

Se você respondeu não a alguma dessas perguntas, talvez ainda não seja o momento certo para ter um bicho. Pense bem. Se respondeu mais de um não, desista da idéia. Ter um animal requer muita responsabilidade. É melhor fazer festinha no cachorro da vizinha...
Teste adaptado do site www.mingaudigital.com.br, com autorização do editor.
 
Imagem: © aleksandr - Fotolia.com
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário