Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

A compra de carro usado em três atos. E sem drama.
em: Carros, Motos e Bicicletas
16/07/2014 08:30
Se a hora é de comprar ou trocar de carro por outro usado, controle a ansiedade e planeje. Para não se arrepender por um mau negócio, atente-se a cuidados importantes.

1º ato: Analise e pesquise
A venda do antigo e a compra do novo veículo podem ocorrer diretamente com outros proprietários ou com lojas especializadas. O negócio costuma ser mais vantajoso financeiramente se realizado com particulares. “Porém, o risco é bem maior, porque se fica sujeito a aborrecimentos com desconhecidos”, sinaliza o presidente do Sindicato da Indústria de Reparação de Veículos e Acessórios (Sindirepa) do Estado de São Paulo e Nacional, Antonio Fiola.
Realizar a transação com loja ou concessionária – idôneas – pode ser mais seguro, contudo tem a desvantagem financeira. Ao vender o veículo antigo ou usá-lo como parte do valor da compra, há depreciação de até 15% em relação ao preço de mercado, pois a empresa deverá revender o carro.
Há também a possibilidade de venda em consignação. “Neste caso, o preço é estipulado antes, com porcentagem para a loja”, lembra Fiola.
Na escolha do modelo, a orientação do presidente do Sindirepa é consultar o mecânico de confiança para optar por marcas que ofereçam ampla oferta de peças com preço mais vantajoso. ”Considere, ainda, valor de revenda, custo do seguro e facilidade de manutenção”, aconselha.
A imprescindível pesquisa tem na internet uma ferramenta cada vez mais usada na hora de trocar o carro. A web já faz parte da cadeia automotiva e pode facilitar o encontro do carro que procura. Além dos sites de negociação, como o Mercado Livre, há uma série de portais especializados, como o Web Motors. Mas, atenção: como todo comércio online, é preciso cuidado, aqui se focando na vistoria pessoal e demais precauções listadas nos próximos atos.

2º ato: Avaliação
Antes de qualquer vistoria física, é importante verificar no manual do proprietário a realização, no período correto, da manutenção preventiva. A dica é de Fiola, que justifica: “Este é o primeiro indicativo da condição do veículo”.
A partir daí, continua, deve-se submeter o carro a uma avaliação do mecânico de sua confiança para checar as condições do motor, direção e suspensão, sistema de freios, câmbio e parte elétrica. ”Verifique a pintura em local aberto, durante o dia, para poder visualizar possíveis defeitos e falhas na lataria que possam indicar que o carro foi batido ou repintado”, ensina Fiola.
Não se esqueça de fazer seu próprio test drive para sentir o veículo, tanto pelo aspecto mecânico, como pelas condições de conforto interno promovidas por ergonomia, acessórios e acabamento. É preciso se sentir bem dentro do carro.

+ Devolução do IPVA de veículos roubados
+ Resgatando o seguro obrigatório

3º ato: Checagem da documentação
Tão importante quanto a avaliação física do veículo, é a verificação da documentação e questões burocráticas. A regularidade do carro, bem como a existência de multas, pendências financeiras e outros itens podem ser checados pelo número do Renavam, no site do Detran do Estado de origem do veículo. O de São Paulo é www.detran.sp.gov.br.
Confira se os dados do documento original de propriedade ou do Certificado de Registro e Licenciamento de Veículo estão de acordo com os do veículo. “Desconfie de ofertas com valores muito abaixo de mercado”, alerta ainda o especialista.

Imagem: © ruigsantos - Fotolia.com 
 
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário