Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

Perigo!
em: Especialidades
08/06/2015 09:00
Diariamente, os hospitais atendem inúmeros casos de envenenamento ou intoxicação em crianças e adultos. Os perigos estão bem mais próximos do que imaginamos e podem ser mortais…

A maior parte dos acidentes acontece dentro da própria casa e vitima crianças por ingestão, inalação ou contato com substância tóxica.

A lista de ameaças é extensa: produtos de limpeza, inseticidas, raticidas, solventes, tintasperfumescosméticosremédios e até plantas devem ser alvo de atenção, ficando sempre fora do alcance de crianças e animais de estimação. Nos adultos, ingestões acidentais ou automedicação são causas freqüentes de envenenamento.

Para evitar incidentes, certifique-se de que produtos químicos, de limpeza e remédios estão bem identificados e guardados em local adequado. Livre-se de medicamentos vencidos ou fora de uso.

Limpeza perigosa

Os agentes químicos dos produtos de limpeza são fonte de uma série de riscos. Mantenha-os em local seguro e utilize luvas para aplicação.
Amônia: é altamente prejudicial aos olhos, pele e sistema respiratório. Pode ser fatal.
Cloro: em alta concentração, é altamente tóxico e pode ser letal. Não utilize sem proteção para a pele e em locais fechados.
Líquidos antibactericidas: por conter triclosan podem ser absorvidos pela pele e causar danos ao fígado.
Lustra-móveis: contêm destilados de petróleo e são inflamáveis e tóxicos, sendo facilmente absorvidos pela pele.
Xampu de tapete: para retirar manchas, as fórmulas incluem substâncias altamente tóxicas que podem ser corrosivas, causar danos à pele, fígado, sistemas nervoso central e respiratório.
Chumbinho: mortal e proibido. Inseticidas e raticidas em geral são perigosos, mas o tipo que mais mata no Brasil é o popularmente conhecido como “chumbinho”. Proibido pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), é vendido irregularmente, em um comércio alimentado pela ignorância de sua ineficiência no combate a ratos e dos perigos que representa para a saúde da população. 
Com número crescente de intoxicações acidentais ou propositais (em casos de suicídio), a substância é alvo constante de fiscalizações que visam acabar com o comércio deste produto fabricado por quadrilhas de contraventores, que adquirem as matérias-primas por meio de furtos de cargas ou contrabando. 
Sem cheiro ou gosto, o “chumbinho” é geralmente apresentado em grânulos cinza-escuro ou grafite e pode ser levado pelo vento ou por pássaros e ratos para quintais e varandas, onde acaba sendo ingerido acidentalmente por crianças, adultos e animais de estimação.
O veneno afeta o sistema nervoso central, causa transtorno neurológico, alteração cardíaca e paralisia dos pulmões em menos de uma hora após a ingestão. Os sintomas de intoxicação são náuseas, vômito, sudorese, salivação excessiva, turvamento visual, contração da pupila, hipersecreção brônquica, dor abdominal, diarréia, tremores, taquicardia, entre outros.
De acordo com a Anvisa, a substância é ineficiente no controle da infestação de roedores e não existe meio seguro de aplicação. Comprá-lo ou vendê-lo é crime.

Para denúncias, entre em contato com a Ouvidoria da Anvisa pelo e-mail ouvidoria@anvisa.gov.br ou com a Gerência Geral de Toxicologia da Anvisa (toxicologia@anvisa.gov.br). Outra opção é o Centro de Vigilância Sanitária de São Paulo. O contato pode ser feito pelos telefones 3065-4633 e 3065-4605 ou via endereço eletrônico ouvidoria@cvs.saude.sp.gov.br. Não é necessária identificação.

Alerta verde

Que são belas, não há dúvida. O que muita gente ignora, porém, é que algumas plantas são tóxicas e podem provocar intoxicação e queimaduras na pele.

Por isto, é fundamental conhecer o tipo de vegetação que mantém em casa. Na dúvida, mantenha-as fora do alcance de crianças e animais e não tome chás caseiros de folhas desconhecidas.

Tenha muito cuidado na manipulação e poda, usando sempre luvas para jardinagem, e lave bem as mãos após a atividade.

Plantas tóxicas: comigo-ninguém-pode, copo-de-leite, taioba-brava, saia-branca (trombeteira), bico de papagaio, coroa-de-cristo, avelós (dedo-do-diabo ou pau-pelado), espirradeira, mamona, pinhão-roxo, antúrio, mandioca-brava, cinamomo (jasmim-de-soldado, árvore-santa ou Santa Bárbara), entre outras.

Pronto atendimento é o diferencial

Em caso de intoxicações e envenenamentos, o socorro urgente é a diferença entre a vida e a morte. Ao suspeitar de um destes acidentes, corra para o hospital mais próximo, levando, se possível, a embalagem do agente causador. Provocar vômitos pode ser perigoso.

Possíveis sinais de envenenamento: vestígios de substâncias na boca ou pele da vítima, hálito diferente, mudança na coloração de boca e lábio, respiração fraca, baixa temperatura, dor ou queimação na boca, garganta ou estômago, confusão mental, sonolência, alucinação ou perda de consciência, redução ou retenção da urina, sangramento, lesão, vermelhidão ou queimaduras, enjôos, vômitos, suor, salivação e convulsões. 
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário