Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

Perigos ao usar o Wi-Fi
em: Produtos e Serviços
24/11/2015 09:14
Evite surpresas com a rede e mantenha-se protegido
Em uma sociedade cada vez mais conectada, é muito comum encontrar pessoas acessando a internet por meio de rede sem fio aberta, o famoso Wi-Fi.
No começo, essa tecnologia só era disponibilizada por shoppings e aeroportos, mas hoje já é exigida em todos os lugares, inclusive em clínicas e restaurantes. Os usuários conectam seus aparelhos sem dificuldade, aproveitam para checar as redes sociais e os e-mails, fazem transferências em contas bancárias e muito mais. Ao se esbaldarem devido à economia e praticidade da rede aberta, dificilmente levam em consideração os perigos dessa prática.

+ Só o backup salva
+ O mundo dos aplicativos
+ Software livre

Apesar de os pontos gratuitos de internet via Wi-Fi serem uma ótima ideia para facilitar a mobilidade das comunicações e a vida dos cidadãos, é preciso muito cuidado, pois eles são mais vulneráveis no que se refere à segurança da informação. Ambientes em que a conexão está disponível para todos implicam uma série de ameaças tanto para o fornecedor como para o consumidor.
A partir do momento em que se usa uma tecnologia de banda larga sem fio que não exige senha, é importante ter em mente que ela pode ser acessada por qualquer um e seus dados ficarem expostos a criminosos virtuais que interceptam a comunicação entre os equipamentos e a internet. O usuário não precisa necessariamente clicar em um link malicioso para ser invadido. Redes abertas permitem que outras pessoas roubem senhas de acesso e dados pessoais ou, ainda, instalem códigos maliciosos no dispositivo de quem se conecta pelo Wi-Fi.
O método mais seguro para quem quer se proteger é a conexão fechada. Ela está menos exposta e se diferencia das redes abertas por ser vinculada a uma senha. Embora a criação de um código único para cada cliente seja o ideal, esse serviço é inviável em grande parte dos casos. Uma solução é o uso de uma plataforma que libera o acesso à rede sem fio de internet por meio do perfil do usuário em redes sociais como Facebook, Twitter, etc. 
Ao disponibilizar o acesso, as empresas também não estão livres de problemas. Elas podem ser responsabilizadas judicialmente por ataques de hackers a internautas conectados ou por atos ilegais realizados através do Wi-Fi desprotegido.
Conexão segura
Seguir alguns procedimentos de segurança faz toda diferença para evitar transtornos com o uso das redes Wi-Fi abertas. 
Disponibilidade de senha: Procurar usar Wi-Fi liberado por senha em locais públicos. Apesar de o acesso aos usuários ser mais restrito, é preciso lembrar que essa, ainda, é uma rede compartilhada por outras pessoas e os perigos existem.
Rede autêntica: Antes de se conectar, é importante verificar com algum funcionário do local se a rede é legítima. Intencionalmente, hackers podem criar outra com o nome parecido para roubar conteúdos dos seus dispositivos. No entanto, mesmo sendo autêntica, você ainda está sujeito a invasões, já que ela é aberta.
Atualize tudo: Estar em dia com a atualização do sistema operacional e dos aplicativos dos computadores, tablets ou celulares. Constantemente, são liberadas novas versões dos softwares que corrigem falhas de segurança.
Cuidados com os acessos: Não entrar em nenhum site que exija dados pessoais ou senhas (mesmo se elas já estiverem salvas no dispositivo) quando navegar em Wi-Fi sem nenhuma proteção. Isso significa que você não deve acessar seu correio eletrônico, entrar em redes sociais ou sites de banco e, sobretudo, pagar compras online com cartão de crédito. Tudo isso pode ser alvo dos mal-intencionados. 
Use redes específicas: Fazer a conexão por meio de uma Rede Privada Virtual (VPN, na sigla em inglês). Ao acessar o Wi-Fi por meio de um software VPN, ele fica encarregado de manter sua navegação exclusiva e dificultar a invasão nos dados trafegados.
Antivírus: Instalar um antivírus nas máquinas com segurança para a navegação na web é indispensável. A ferramenta mantém seus dados sempre monitorados e protegidos.
Criptografe: Verificar também a disponibilidade de criptografia para enviar e-mails, digitar senhas, fazer login em sites. Em muitos roteadores, essa técnica também pode ser configurada. Ela codifica as mensagens de maneira que só o emissor e o receptor conseguem decifrar, oferecendo alto nível de proteção para as suas informações. 
Redes 3G e 4G: Usar sua própria internet, ainda, é o mais indicado. Mesmo com a taxa cobrada pelas operadoras, a vantagem está em só você ter o acesso e evitar ataques de criminosos virtuais.
 
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário