Selecione seu local x
Pesquisar meu local atual

Artigos e Receitasver todas as matérias

Dormindo com seu pet
em: Nossos Bichos
29/05/2017 09:59
Saiba quais são as principais precauções antes de permitir que o companheiro peludo divida os lençóis
 
Aquele bicho fofinho, seja gato, seja cachorro, está sempre perto da gente. Muitas vezes, quer ficar ainda mais próximo, principalmente na hora de dormir. Algumas pessoas consideram seus pets como integrantes da família e aceitam dividir a cama – à noite, durante o sono, ou mesmo naqueles momentos de leitura ou cochilo após o almoço. Essa companhia é prazerosa para ambos, porém, especialistas alertam que, para deixar o bichinho dividir as cobertas com você, são necessários alguns cuidados, a fim de evitar problemas de saúde tanto para o dono quanto para o peludo.

+ Gatos também precisam de cuidados especiais
+ Animais de estimação: uma vida que depende de você
+ A terceira idade dos pets
 
Sem as vacinas atualizadas e banhos periódicos, os animais podem transmitir diversas doenças aos seres humanos. Isso pode comprometer não somente a saúde do dono, mas também o relacionamento com o pet. De acordo com o professor de Clínica Médica de Pequenos Animais do curso de Medicina Veterinária da Universidade Metodista de São Paulo, dr. Paulo Salzo, o bem-estar do compartilhamento da cama está diretamente relacionado à saúde do pet. “O convívio próximo entre essas espécies e o homem pode acarretar inúmeras doenças, mesmo que os animais não frequentem a cama dos tutores”, comenta o veterinário, citando alguns exemplos: escabiose, conhecida popularmente como sarna, doença de pele que pode acometer tanto donos quanto bichos; dermatofitose, ou seja, frieira; esporotricose, variação mais potente da micose; leptospirose, raiva, entre outras.
Os sintomas mais comuns dessas doenças incluem coceiras pelo corpo, manchas vermelhas na pele e outros indicativos de alergia. Essas manifestações podem aparecer em gatos, cachorros e humanos. Nos animais, os donos devem fazer uma avaliação periódica entre os pelos para detectar qualquer alteração na pele.
 
Vacinação
Segundo o especialista, a primeira preocupação é vacinar o bichinho regularmente, conforme a orientação do veterinário. “Essa condição já previne algumas doenças graves, além de estar relacionada diretamente com o bem-estar do animal”. A vacina antirrábica, que previne a raiva, é comum a ambos, mas também é necessário aplicar as doses recomendadas para cada espécie.
Em casos raros, ainda de acordo com o professor, os animais também podem contrair doenças dos humanos. Por isso, é preciso ficar atento à própria saúde. Se houver infecção por doenças mais fortes, é melhor procurar a orientação de médico e veterinários antes de deixar o bicho de estimação dormir junto na mesma cama.
Conforme dr. Salzo, alguns exemplos de doenças que podem ser transmitidas para os animais são dermatofitose e tuberculose.
 
Alergias
As pessoas alérgicas devem redobrar a atenção. Se já dividem a cama com o bichinho ou se pretendem fazer esse compartilhamento, a orientação do veterinário é para que procurem um médico antes. “Algumas pessoas são alérgicas aos pelos e componentes da saliva dos animais, especialmente gatos. Nesse caso, devem procurar um alergista. Os pelos podem albergar também esporos de alguns fungos e parasitas”, explica.
Portanto, antes de dividir a cama com seu pet, tenha certeza de estar com a sua saúde e a dele em dia.

Camila Galvez Comunicação para o Tá na Mão
x

URL



Redes Sociais

Email

x
Seu nome
Seu email
Comentário